Ibope e Datafolha indicam vantagem para Dilma.



bruna.jpg
Ibope e Datafolha indicam que a presidente Dilma Rousseff está à frente do candidato do PSDB, Aécio Neves, na corrida ao Palácio do Planalto.
Os dois institutos de pesquisa divulgaram seus levantamentos nesta quinta-feira (22) mostrando que a candidata à reeleição pelo PT abriu entre 7 e 8 pontos de vantagem sobre o tucano.
Segundo o Datafolha, Dilma venceria com 53% dos votos válidos. Aécio Neves teria 47%.
Esta é a primeira vez no segundo turno que a vantagem da candidata petista supera a margem de erro, de dois pontos percentuais para mais ou para menos, nos levantamentos do Datafolha.
Já de acordo com o Ibope, Dilma teria 54% dos votos válidos, contra 46% do candidato do PSDB. Da mesma forma, esta é a primeira vez nesta fase da eleição que a vantagem de Dilma se mostra superior à margem de erro do instituto, que também é de dois pontos para mais ou para menos.
Nos levantamentos imediatamente anteriores, tanto Datafolha quanto Ibope mostravam Dilma Rousseff com 52% dos votos válidos, contra 48% de Aécio.
Agora, a candidatura tucana tenta garantir a vitória com a conquista dos indecisos e dos eleitores que pretendem votar em branco ou nulo.
Segundo o Datafolha, na votação total, Dilma teria 48%, contra 42% de Aécio, 5% de brancos e nulos e 5% de indecisos.
No Ibope, Dilma tem 48% dos votos totais, contra 41% de Aécio. Brancos e nulos somam 7%. Os indecisos são 3%.
Fonte: IstoÉ

Acidente com família em Rolândia: Mulher morre, homem fica em estado grave e criança de 8 anos sofre ferimentos leves


fonte - http://www.rolandia190.com.br/
Um grave acidente foi registrado na BR-369, em frente ao posto Via Sul, em Rolândia. Uma mulher, identificada como Viviane Morandi, de 33 anos, morreu na hora - Uma criança, de aproximadamente 8 anos, sofreu ferimentos leves e um homem, identificado apenas como Alexandre, foi encaminhado ao HU de Londrina em estado gravíssimo.

De acordo com o sargento Claudemir, do Corpo de Bombeiros, um veículo uno preto que saia do pátio do posto Via Sul, teria provocado o acidente e se evadido do local. "O veículo saiu do posto em alta velocidade, cruzou a rodovia na frente do veículo corsa, onde este veio a se perder e capotou", finaliza.

acidente com morte posto via sul rolandia família

Segundo informações, o veículo da família, um corsa, com placas de Cambé, teria capotado e batido em um caminhão que estava estacionado no pátio do posto. "A pancada foi muito forte, chegou até a arrastar um caminhão", ressalta uma testemunha que não quis se identificar.

O Corpo de Viviane foi encaminhado até ao IML. Já Alexandre apresentava uma hemorragia interna e teve que ser entubado pela médica do Samu. Câmeras de segurança do posto devem ajudar na identificação do veículo. 



Acidente com morte rolandia noticias 190


acidente em frente ao via sul, criança de 8 anos

Arquivado em: 

MENORES E MOTOCICLETAS APREENDIDAS EM SÃO JERONIMO DA SERRA

Ás 23h00 desta quinta,23, a equipe da  PM realizava patrulhamento pela Avenida José Batista Proença, momento em que avistou dois adolescentes conduzindo duas motocicletas. Diante do exposto, ambos foram conduzidos junto aos veículos para propositura de medida socioeducativa e demais autuações pertinentes por infração de trânsito. OBS: Os dois jovens foram assistidos pelo Conselho Tutelar.

RAPAZ É ESFAQUEADO EM JATAÍZINHO

Ás 16h00 da quinta,23, a equipe  da PM deslocou mediante solicitação até o Pronto-Socorro onde havia dado entrada um rapaz vítima de duas facadas (na altura do ombro e do pescoço). A vítima por prenome Cléber disse que estava com algumas pessoas na esquina de sua casa na Rua Santo Cardin, instante em que o agressor, por alcunha “Nenzinho”, se aproximou e lhe desferiu as duas facadas. Que em seguida o agressor fugiu a pé para local ignorado. Logo, diligências estão sendo realizadas no intuito de descobrir o paradeiro do autor.

MULHER É AMEAÇADA E AGREDIDA POR AMÁSIO EM CONGONHINHAS

Ás 21h30m  desta quinta-feira, 23, a equipe da  Polícia Militar se deslocou até um endereço da Estrada do Marabá, onde a solicitante passou a relatar que ao se aproximar da residência, foi assediada por seu amásio, o qual passou a ameaça-la e a agredi-la fisicamente. A vítima ainda disse que após conseguir se desvencilhar do acusado chamou a equipe de serviço, que por sua vez, conduziu ás partes para o devido procedimento legal.

Seminário de Jiu Jitsu com Mestre Barbosa.



No último dia 04 de outubro, os alunos do Professor ChokitoTokaibjj tiveram a oportunidade de aprender novas técnicas de jiu jitsu com o renomado mestre Barbosa da academia B9 de São Paulo.

O Seminário serviu também para aumentar o  círculo de amizades. Além de ter a honra de receber na  academia Five, o  mestre Barbosa,  que foi o professor do fundador da Tokaibjj, mestre Roberto Nacaya, esteve presente tambem,  os atletas  da Equipe Leandro Ribeiro de Assaí.

A Academia Five e o Mestre Chokito agradecem  a participação dos atletas e professores.

Agradecimento especial aos  apoiadores, já que sem eles não seria possível a realização desse grande evento.


Fonte - face da Academia Five

FIM DE ANO - Vendas de Natal devem ser mais ‘magras’ neste ano

Cenário econômico de juros altos e endividamento do consumidor deve refletir nos negócios de final de ano do comércio

Theo Marques
Nas gôndolas dos supermercados já é possível encontrar panetones e adereços típicos do período
Lis Sayuri
Natal deste ano deve ser mais de pequenas lembranças do que presentes de valores altos
Curitiba - As vendas de Natal deste ano no Paraná devem ser menores do que as de 2013 em função do momento econômico que vive o País com alta dos juros e da inflação e o endividamento das famílias. A previsão é que o crescimento das vendas não ultrapasse a casa dos 4% - em 2013 a alta foi de 8% - e que os presentes sejam de valores menores em relação ao ano passado. Os itens mais vendidos devem ser vestuário, calçados, perfumes, chocolates e celulares. O volume de estoques comprado pelos lojistas também tende a ser menor.

"Os presentes serão de menor valor e em menor quantidade", disse o presidente da Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio), Darci Piana. Ele acredita que o aumento de vendas no Natal não chegue a 4,5%. Prevê ainda que boa parte das compras seja paga à vista em função do aumento dos juros. Segundo ele, a formação de estoques está até 30% menor em relação a 2013. "Isso também é reflexo da indústria que está produzindo menos", pontuou.

O economista e diretor do Instituto Datacenso, Cláudio Shimoyama, disse que a previsão é de um crescimento de 4% nas vendas de Natal em Curitiba e Região Metropolitana contra os 8% do mesmo período do ano passado. Uma pesquisa realizada pelo instituto apontou que 42% dos lojistas acreditam que o volume de negócios será superior neste ano, 37% preveem que será igual e 16% estimam vendas inferiores a 2013. O mesmo levantamento apontou que 38% dos curitibanos devem comprar mais que no ano passado, mas 31% pretendem gastar menos.

Shimoyama lembrou que no Dia das Crianças as vendas já ficaram mais centralizadas em brinquedos tradicionais e não em eletrônicos, que são mais caros. Ele avaliou que será um Natal mais de pequenas lembranças do que presentes de valores altos. E acredita que o tíquete médio também será menor, mas ainda não tem estimativa de valor.

Já o diretor comercial da Associação Comercial e Industrial de Londrina (Acil), Fernando Moraes, tem opinião divergente. Ele prevê vendas melhores neste ano do que no Natal de 2013. "Tivemos um ano de demanda reprimida. A Copa do Mundo atrapalhou muito", disse. O representante da Acil também acredita que as compras sejam pagas mais à vista e que os itens mais procurados sejam smartphones e vestuário. A Acil ainda não tem uma estimativa de quanto as vendas devem crescer no período.

CONSUMO
Os consumidores pretendem colocar o pé no freio nas compras de Natal. A advogada Juliane Ferrari Petró pretende reduzir os gastos com presentes. "Vou presentear um número menor de pessoas e baixar o valor dos presentes", disse. Mas, ela não prevê fazer cortes na Ceia de Natal. Juliane planeja enxugar os gastos por conta da instabilidade econômica do País e pelas incertezas em relação à inflação.

A vendedora Bianca Hertmann pretende diminuir o valor dos presentes, mas também não vai reduzir gastos na ceia. A previsão dela é gastar cerca de R$ 1 mil, valor que inclui alimentação e presentes. "Está tudo muito caro", afirmou.
Andréa Bertoldi
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

Hemocentro quer triplicar estoque

Objetivo é suprir a demanda dos leitos públicos e filantrópicos de 18 hospitais da região

Fotos: Gina Mardones
Tamiris Rosa da Silva: "Minha irmã sofreu um acidente e precisou de sangue; agora sempre procuro retribuir a ajuda que recebemos"
Unidade móvel ficará estacionada todas as quintas no Museu Histórico; procura foi grande ontem
Londrina – O Hemocentro Regional de Londrina precisa triplicar o estoque de sangue para suprir a demanda total dos leitos públicos e filantrópicos de 18 hospitais da 17ª Regional de Saúde. Para ajudar a atingir a meta, um ônibus do Hemocentro estará estacionado no pátio do Museu Histórico de Londrina, ao lado do Terminal Central, todas as quintas-feiras, das 9 às 12 horas. Ontem, no primeiro dia de coleta, a procura foi grande. Doadores antigos e também os de primeira viagem passaram pelo museu para doar sangue.

De acordo com o médico hematologista e diretor do Hemocentro do Hospital Universitário (HU), Fausto Trigo, atualmente, a média de doações é de 1,2 mil bolsas por mês. "É o suficiente para dar conta das emergências, mas é preciso de um volume maior para trabalharmos com uma margem de segurança", explicou. A meta é chegar a quatro mil bolsas por mês. As doações são destinadas a pacientes do HU, Maternidade Municipal, hospitais da Zona Norte e Zona Sul, em Londrina, e mais 14 hospitais das cidades da área de abrangência da 17ª Regional de Saúde.

Com o posto de coleta instalado no centro da cidade, Trigo espera aumento considerável das doações. "Muitos querem doar, mas reclamam que não têm tempo. Acabou a desculpa." Todo o procedimento, que inclui eventual cadastro, triagem, avaliação médica e coleta dura em média 25 minutos.

Doadora desde os 18 anos, a instrutora de musculação Tamiris Rosa da Silva, 21 anos, aproveitou a comodidade para fazer mais uma doação. "Minha irmã sofreu um acidente e precisou de sangue. Agora sempre procuro retribuir a ajuda que recebemos", contou.

O pintor de paredes Marcos Gomes, de 40, nunca havia doado sangue. A solidariedade foi maior que o receio e ele procurou o Hemocentro. "Sempre tive vontade de doar sangue, ajudar o próximo, mas tinha um pouco de medo. Hoje resolvi doar e vi que não doi nada. Pelo contrário, a gente se sente bem", incentivou. O diretor do Hemocentro explica que, pelas restrições de pessoal e de capacidade da unidade móvel, as coletas no museu estão limitadas a 40 bolsas por dia.

De acordo com a médica Tatiana Iriyoda, além de rápida, a doação é segura, ao contrário de muitos mitos que ainda são propagados. "A dor é apenas da picada da agulha. São coletados apenas 460 ml de sangue e não há o mínimo risco de contaminações", garantiu. O doador deve ser uma pessoa saudável, com idade entre 18 e 65 anos e pesar mais que 50 quilos. Adolescentes a partir de 16 anos podem fazer a doação acompanhados ou autorizados pelos pais.

Fausto Trigo ressalta que as doações no Hemocentro continuam normalmente. Quem preferir pode procurar a unidade ao lado do Hospital Universitário, na Rua Cláudio Donisete Cavalieri, 156, Jardim Aruba (zona leste). O horário de atendimento é das 13h às 18h30 em dias da semana e das 8h às 17h30 aos sábados. Mais informações pelo telefone (43) 3371-2618.

RESTRIÇÕES
A estudante Aline Ricceto Teixeira, de 20 anos, acompanhou o marido, o professor Helder Linhares Teixeira, de 31, na doação. Ela pretendia se cadastrar como doadora, porém descobriu que não poderia por estar amamentando há menos de 12 meses. "Vou ter que esperar mais seis meses. Fica para a próxima", lamentou. Além das lactantes, outros pessoas não poderão doar sangue se, por exemplo, estiver com anemia, hipertensão ou hipotensão arterial no momento da doação. A lista completa de restrições e outras informações pode ser verificada no site: http://www.uel.br/hu/hemocentro.
Celso Felizardo
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

EM LONDRINA - Mostra de Robótica reúne 40 projetos


Londrina - A 1ª Mostra Científica de Robótica e Automação de Londrina (Robolon), que busca despertar talentos nas escolas públicas de ensinos Fundamental e Médio do município será realizado hoje e amanhã, no campus da Universidade Estadual de Londrina (UEL).

Cerca de 40 projetos serão avaliados por uma comissão científica formada por cinco profissionais e professores de Londrina, UEL, Unicamp e Faculdade de Engenharia Industrial (FEI). Os cinco estudantes melhores classificados receberão bolsa de iniciação científica júnior vinculada ao Departamento de Engenharia Elétrica da UEL e custeada pelo CNPq.

Ao todo 120 estudantes de seis escolas públicas de Londrina e região estão envolvidos na mostra, divididos em 12 turmas. De acordo com a programação, os estudantes desenvolveram atividades durante oito horas semanais, onde os professores auxiliaram na elaboração dos projetos. Esta etapa contou também com a colaboração de 28 alunos de Engenharia Elétrica da UEL.

A promoção é do Departamento de Engenharia Elétrica da Universidade Estadual de Londrina (UEL) em parceria com o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq).
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

Exposição retrata mulheres na luta contra o câncer

Parceria entre o Fotoclube de Arapongas e o grupo Amigas do Peito quer conscientizar a população sobre a importância dos exames preventivos

Sandra Gasparotti, presidente da Focar: "A exposição resgata a autoestima de quem recebe o diagnóstico"
Fotos: Celso Pacheco
Cláudia Marques: "Não vejo o câncer como um sinal de morte; é apenas uma etapa da vida"
Arapongas – O terço e a espada simbolizam a fé e a luta da odontopediatra Cláudia Marques contra o câncer de mama. O diagnóstico precoce em janeiro do ano passado freou o ritmo de vida de Cláudia que, aos 37 anos, se dividia entre o consultório, a loja de roupas infantis, o marido e os três filhos de 11, 9 e 6 anos. "Eu não tinha histórico de doença na família, não tinha fator de risco, não era obesa e sempre fiz os exames preventivos. Eu achava que estava imune", contou.

Em um dos exames preventivos, a médica identificou algo diferente no seio esquerdo de Cláudia. "Eu mesma já tinha percebido que um deles estava mais flácido, mas achei que fosse por causa da amamentação ou de algum outro fator. No começo, a médica achou que fosse fibrose. Estava com meus três filhos quando recebi o diagnóstico. É uma sensação de desespero. Em casa, eu orei muito", desabafou a paciente, que mora em Arapongas (Região Metropolitana de Londrina).

Cláudia passou por cirurgia, reconstruiu a mama e fez sessões de quimioterapia. Os cabelos caíram. "Os sentimentos que tinham que ser descartados foram embora no banho, junto com os cabelos. Era como se todas as máscaras estivessem sendo derrubadas pela água. A opinião alheia já não me importava mais. A timidez foi embora. Me senti uma borboleta saindo do casulo", explicou. Ela passou a usar lenços e mobilizou mais de 200 mulheres em uma caminhada de conscientização contra o câncer. Cinco meses após o início da quimioterapia, os cabelos voltaram a crescer.

"Não vejo o câncer como um sinal de morte. É apenas uma etapa da vida. Acho que a doença está mais ligada ao aspecto emocional. As mágoas e ressentimentos que não foram colocados para fora geraram o câncer. Com a correria, a gente se frustra, não faz nada direito, se cobra e era uma panela de pressão prestes a explodir. Eu precisava parar e pensar no que estava fazendo", avaliou.

Cláudia e outras 22 mulheres que fazem parte do grupo "Amigas do Peito" estão na exposição "Empreendedoras da Vida". As 48 imagens produzidas pelo Fotoclube de Arapongas (Focar) revelam de que forma as pacientes se veem durante o tratamento contra o câncer ou após a luta contra a doença. A odontopediatra, por exemplo, se inspirou em Joana D’Arc e escolheu ser fotografada empunhando uma espada e um terço.

SEM DISTINÇÃO
Conforme a presidente do Focar, Sandra Gasparotti, o projeto é uma homenagem a todas as mulheres que enfrentam o câncer. "A exposição vai servir de alerta para incentivar a realização dos exames preventivos e resgatar a autoestima de quem recebe o diagnóstico. Os relatos dessas mulheres nos mostram que nós todos estamos sujeitos a ter câncer um dia. A doença não faz distinção", concluiu Sandra.

Os fotógrafos se emocionaram com as histórias das personagens. As imagens foram produzidas em dois meses. A proposta mobilizou lojistas e empresários de Arapongas que ofereceram figurino e maquiagem para as mulheres. Conforme a presidente do fotoclube, algumas pacientes que haviam sido selecionadas não puderam ser fotografadas porque o tratamento precisou ser intensificado.

A coordenadora do grupo Amigas do Peito, Maria Rinara Schimini, explicou que o grupo foi criado há dois anos. "Há uma troca de experiências muito grande que ajuda a amenizar a dor e as angústias durante o tratamento. Receber o diagnóstico é um momento muito difícil", declarou. Maria Rinara também é uma das personagens da exposição de fotos. O grupo se une para divulgar a necessidade da realização dos exames preventivos.

No mês de novembro, a intenção do Fotoclube de Arapongas é produzir uma exposição com imagens de homens que estão em tratamento ou superaram o câncer. Os interessados podem entrar em contato com a presidente do Focar pelo telefone (43) 3055-4732.

SERVIÇO
A exposição fotográfica Empreendedoras da Vida pode ser vista nos próximos dez dias no Centro Integrado de Saúde da Mulher (Av. Gaturamo, 950), das 9 às 17 horas. Quem quiser participar do grupo Amigas do Peito deve procurar o Centro de Oncologia do Hospital João de Freitas, em Arapongas.
Viviani Costa
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

EDUCAÇÃO - A origem do ensino superior em Londrina

No mês em que a UEL completou 43 anos de reconhecimento, alunos dos primeiros cursos falam da luta para implantá-la

Rei Santos
Primeira turma de Direito: Fuad Sérgio Ferreira, Paulo Turce, Willian James, Sebastião Nei dos Santos, Nélio Niero, Paulo Silva e Nilson Molina (em pé, da esq. p/ dir.) e Edgar Baer, Akira Ito, Yolan
CDPH/UEL
Na Odontologia, primeiro grande desafio foi conseguir um lugar onde o curso pudesse funcionar
Ricardo Chicarelli
Ivan Giácomo Piza diz que o curso de Odonto nasceu graças ao esforço de um grupo de dentistas da cidade
Londrina - Entre o final da década de 1950 e começo dos anos 1960, Londrina começou a mudar os rumos de sua vocação. Naqueles anos foram criados os primeiros cursos superiores que, mais tarde, dariam origem à Universidade Estadual de Londrina (UEL). A instituição que completou há poucos dias 43 anos de reconhecimento por parte do Ministério da Educação (MEC) foi determinante para a definição do perfil de cidade universitária: hoje são cerca de 25 mil estudantes frequentando as dez faculdades e universidades de Londrina. Só na UEL, entre alunos de graduação e pós-graduação, são mais de 17 mil.

O que poucos conhecem são as lutas que marcaram os primeiros anos do ensino superior na cidade, com os pioneiros cursos de Filosofia, Direito e Odontologia. Em comum, eles têm o fato de terem sido iniciados com pouca ou nenhuma estrutura. "Como não havia professores, foram escolhidos profissionais e lideranças da cidade para dar aulas, entre eles d. Geraldo (Fernandes), que ministrava as aulas de Direito Romano", lembra o advogado Edgar Baer, um dos integrantes da primeira turma de Direito da instituição.

Na Odontologia, o primeiro grande desafio foi conseguir um lugar onde o curso pudesse funcionar. "A criação da faculdade foi mais política, por meio de um decreto. Mas não tinha mais nada além do decreto: não tinha verba, não tinha local, não tinha professores", conta o cirurgião dentista Newton Expedito de Moraes, primeiro diretor da faculdade e responsável por fazer o sonho sair do papel. Em uma Londrina de pouco mais de 130 mil habitantes, ele muitas vezes teve que recorrer a amigos e empresários locais para viabilizar a estrutura mínima para funcionamento de laboratórios e salas de aula.

Os cursos de Direito e Filosofia foram criados e iniciaram as atividades à mesma época. O primeiro foi criado em junho de 1956 e teve o início das aulas autorizado em março de 1958. A Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Londrina, também criada em 1956, fazia parte de um conjunto de cinco faculdades isoladas. Da mesma forma que o Direito, iniciou suas atividades em 1958, no prédio do Colégio Estadual Hugo Simas, no centro.

A UEL seria criada só 12 anos depois, por meio de um decreto estadual. O reconhecimento viria logo depois, pelo decreto federal 69.234 de 07/10/1971. Para quem vê a estrutura existente hoje, os desafios dos primeiros anos são inimagináveis.

"Quando foi publicado o decreto criando o curso de Odontologia, começamos a procurar pela cidade um local onde ele pudesse funcionar. Não havia. Além das salas de aula, era preciso ter espaço para montar os laboratórios, o que criava uma situação bem difícil. Resolvi ir conversar com o d. Geraldo. Ele parou, pensou e resolveu me mostrar umas salas vazias que havia no subsolo da Catedral. Me perguntou se eu achava que daria para iniciar o curso ali. Eu disse que com algumas adaptações isso seria possível, e assim, a toque de caixa, as aulas puderam começar de forma provisória, em 1962", relembra Newton Moraes.

Ao final do primeiro ano de funcionamento o diretor da faculdade voltou a conversar com o arcebispo, que entrou em contato com o governador da época, Ney Braga, sugerindo que fosse retomado o projeto de construção do prédio para abrigar as faculdades da cidade, nos fundos do Colégio Hugo Simas, com clínica e laboratórios. A sugestão foi acatada, e a partir do segundo ano a primeira turma de Odonto já assistia às aulas em um prédio com cara de faculdade. Mas para garantir uma estrutura capaz de abrigar as novas turmas que entravam a cada ano, o diretor se desdobrou. Mais de uma vez, acionou empresários e comerciantes da cidade para levantar recursos para novas construções. "Naquela época éramos todos amigos. Alunos e professores se uniam para fazer promoções, lutar juntos por uma causa, por isso tudo dava certo."

Para garantir o mobiliário necessário na nova faculdade, Moraes chegou a montar uma serraria junto à faculdade. "Também tínhamos uma oficina para o conserto dos equipamentos. Com isso ganhávamos tempo e economizávamos recursos", conta o cirurgião dentista, hoje com 82 anos. "Cada passo era uma conquista muito comemorada", diz ele, para lembrar de outra passagem marcante e igualmente difícil: conseguir o reconhecimento do curso junto ao Ministério da Educação (MEC) antes mesmo da formatura da primeira turma. "Na época a sede ficava no Rio de Janeiro, fomos para lá e ficamos uma semana providenciando tudo."

As dificuldades eram agravadas pela falta de apoio do governo. "Lamentavelmente, não podíamos contar muito com o Estado. Em compensação, encontramos um grande apoio na Faculdade de Odontologia de Bauru (pertencente à Universidade de São Paulo - USP), que nos abriu as portas. Foi um intercâmbio de conhecimento muito intenso, uma parceria fundamental para a qualidade do ensino da faculdade de Londrina. Tanto que por muitos anos o curso manteve o conceito A", diz o ex-diretor, referindo-se à avaliação do MEC.

Moraes diz sentir orgulho de ter ajudado na criação de uma universidade com a importância da UEL, mas fica triste quando a visita, hoje em dia, e percebe que ninguém o conhece. "Meu sonho é inaugurar a faculdade de Odontologia dentro do campus universitário. É lá que ele deve estar", revela.
Silvana Leão
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

TREM PÉ-VERMELHO - PROJETO VAI CUSTAR R$ 10,7 MILHÕES ATRAVÉS DO PAC

O Governo do Paraná já pode abrir processo para contratar a empresa que ficará responsável pela elaboração dos projetos executivos do Trem Pé-Vermelho. A autorização para a contratação da terceirizada foi concedida pelo Ministério das Cidades na última segunda-feira. A obra ferroviária ligaria as regiões de Londrina e Maringá em um trecho de 122 quilômetros com custo estimado em R$ 700 milhões. Os projetos executivos, no entanto, contemplam apenas as extremidades do Trem Pé-Vermelho.

Pelo Ministério das Cidades, não seria "economicamente viável" ligar as duas regiões. O órgão federal aceita custear os projetos executivos, mas para a criação de duas linhas: uma interligando Paiçandu, Maringá e Sarandi, e outra entre os municípios de Ibiporã, Londrina e Cambé.

Os projetos vão custar R$ 10,7 milhões aos cofres públicos. O dinheiro, do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), deve ser liberado em seis meses, segundo informações da assessoria de imprensa da Secretaria Estadual de Infraestrutura e Logística (Seil). O prazo é necessário para a continuidade dos "trâmites burocráticos". A liberação dos recursos deve ser feita pela Caixa Econômica Federal.

O diretor da Agência de Desenvolvimento Terra Roxa, Alexandre Farina, garantiu que a entidade não desistiu da proposta original do Trem Pé-Vermelho, que interligará as regiões de Maringá e Londrina e deve ser construída entre os municípios de Paiçandu e Ibiporã. "Existe essa limitação, mas o projeto continua viável", destacou.

De acordo com ele, a interligação pode ser realizada com verba do Ministério dos Transportes. "Fizemos um esforço na tentativa de convencer o Ministério das Cidades a adotar o projeto original, mas não foi possível. Vamos esperar passar as eleições para voltar a entrar em contato com a equipe do Ministério dos Transporte e tentar contratar essa segunda fase do projeto da forma ágil como o que aconteceu com a primeira", destacou.
Guilherme Batista
Equipe Bonde-FOLHA DE LONDRINA

FUTEBOL - LEC aposta em força defensiva diante do Brasil

Com apenas quatro gols sofridos, Tubarão tem a melhor defesa da Série D do Campeonato Brasileiro

Ricardo Chicarelli
Dirceu enaltece participação dos meias e atacantes na marcação ao adversário
Se o Londrina tem a melhor campanha na Série D do Campeonato Brasileiro, muito se deve à força defensiva da equipe. O Tubarão sofreu apenas quatro gols nos 12 jogos que fez e tem a defesa menos vazada da competição. E o segredo para essa linha defensiva quase intransponível não está apenas nos membros do quinteto do setor, mas sim no envolvimento de todo o time quando está sem a posse de bola.

A marcação alviceleste vem sendo bastante efetiva já no ataque. Paulinho e Bruno Batata dão o primeiro combate e voltam para ajudar a marcar. "O que menos trabalha, defensivamente falando, sou eu. Eu e o Sílvio ou o Dagostini, quando ele joga, somos mais exigidos nas bolas longas. Quando você vê meu camisa 10, aos 35 do segundo tempo, dando carrinho na linha de fundo, essa equipe não tem como não chegar, é uma equipe muito aguerrida em campo e mostra essa força tanto ofensivamente como defensivamente. Obvio que isso não tem como dar errado e o reflexo é positivo, como os números dizem", analisou o capitão Dirceu.

O goleiro Vítor enaltece esse fator de time "cooperativo" na marcação e não vê os méritos apenas em seu trabalho, mesmo tendo salvo a equipe em várias oportunidades. "Vejo isso com muita tranquilidade e naturalidade. Não é por minha causa, mas por consequência do grupo, já que nossa marcação começa lá na frente, com o empenho dos nossos meias e atacantes, além de contar com o respaldo de todo sistema defensivo", disse o camisa 1.

Para o jogo de amanhã, às 20h30, contra o Brasil-RS, em Pelotas, o desafio é manter a boa fase defensiva e trazer pelo menos um empate para o jogo de volta da semifinal, marcado para o próximo dia 1º, às 19 horas, no estádio do Café. Para isso, o técnico Claudio Tencati conta com o retorno do volante Diogo Roque, que estava suspenso. Bidia deve perder a posição na equipe na disputa com Guilherme Amorim. Nas demais posições, nenhuma alteração.

No Brasil, o técnico Rogério Zimmermann tem apenas o desfalque do volante e capitão Leandro Leite. Nunes será o substituto. O time espera casa cheia para usar a renda para colocar em dia os salários atrasados do elenco. Cinco mil ingressos foram colocados à venda, já que a capacidade do estádio Bento Freitas é para 10 mil pessoas e o clube possui quase 5 mil sócios-torcedores, o que garante uma renda fixa de quase R$ 150 mil por mês.

FICA OU SAI?
O gerente de futebol do Londrina, Alex Brasil, afirmou que vai deixar para depois do fim da Série D a decisão sobre seu futuro. Ele é cotado para assumir o mesmo cargo no Caxias-RS. "Meu contrato vai até dezembro e estou focado em terminar o trabalho aqui. Depois vou sentar com o Sérgio (Malucelli, gestor do clube), para discutir isso", disse.
Thiago Mossini
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

ESPORTE - Profusão de medalhas

Equipe londrinense de Shuai Jiao teve atuação acima da média no Campeonato Brasileiro, em São Paulo

Lis Sayuri
Equipe de Londrina superou expectativas na disputa do Brasileiro
A equipe Shuai Jiao, um dos braços do kung fu, da Associação Punhos Unidos, de Londrina, fez bonito no Campeonato Brasileiro da modalidade, disputado no final de semana, em São Paulo. Dos nove atletas que viajaram para a capital paulista, seis foram campeões em suas categorias e um ficou com a prata.

Gilmar Batista dos Santos, na categoria até 85 kg, Alexandre Yamaue, até 97 kg, Alex Fernando Comennda, na Absoluto, Igor Salerno Filgueiras, até 72 kg, Vítor Ferreira, até 92 kg, e Alessandra Soares, até 55 kg, faturaram o ouro em suas respectivas categorias, enquanto Júlio César Muchiutti foi prata na categoria até 93 kg.

A mestre Renata Balestrini acreditava em uma boa participação de seus comandados, mas ficou surpresa com tantas medalhas de ouro. "A gente confiava na qualidade do trabalho feito aqui, dos treinamento, e esperava bons resultados. Mas tantas vitórias foram surpresas, porque a maioria treina há apenas um ano".

Vencedor no Absoluto, Comennda ressaltou não apenas a conquista da medalha, mas também a oportunidade de medir o nível de sua luta. "Foi uma experiência boa ter o contato com outros praticantes de outras escolas. Dá mais motivação para treinar ainda mais e buscar outros aspectos", avaliou.

Já Gilmar dos Santos celebrou ainda mais a vitória. Ele bateu um dos principais lutadores paulistas e favorito ao título, o que lhe deve credenciar para a disputa do Mundial da modalidade na China, em 2015. "Pela forma que estávamos treinando, não me surpreendi. Estava muito bem preparado", disse.

Os resultados da equipe poderiam ter sido ainda melhores se todos os lutadores tivessem ido à competição. Alguns dos destaques não foram por falta de dinheiro para custear as despesas de viagem. A equipe não tem patrocinador.

"Temos muitos convites para competições fora, mas como a modalidade não é muito conhecida, a gente não consegue patrocínio", lamentou a mestre Renata Balestrini, que está garantida no Mundial no ano que vem.
Thiago Mossini
Reportagem Local-FOLHA DE LONDRINA

PR tem mais vigilantes privados que policiais

No Brasil, número de profissionais é quase cinco vezes maior que o contingente do Exército

Anderson Coelho
Cursos de formação dos profissionais inclui defesa pessoal e aptidão psicológica
Londrina – A sensação de insegurança faz com que as pessoas e empresas gastem cada vez com segurança privada. E isso tem feito o mercado de vigilância crescer. No Brasil, o número de vigilantes privados é de 989 mil profissionais, quase cinco vezes mais que o contingente do Exército. No Paraná, são 35 mil vigilantes legalizados, mais que as Polícias Militar (20 mil) e Civil (5 mil) juntas.

As empresas estão presentes em estabelecimentos dos mais variados ramos, além de atuarem em shows musicais, festas populares e eventos esportivos, culturais e religiosos. A Polícia Federal (PF) é quem fiscaliza o funcionamento destas empresas, que precisa ser renovado anualmente.

"Em virtude da deficiência do Estado em promover segurança pública, as pessoas têm investido cada vez mais na particular e isso explica os números", frisou João Soares, presidente do Sindicatos dos Vigilantes do Paraná.

Para Ademílson Alves Batista, presidente do Sindicato dos Policiais Civis de Londrina e Região (Sindipol), o crescimento deste mercado se apoia em fatores como o aumento da criminalidade e o crescimento das cidades e da população, além do efetivo policial defasado. "De qualquer forma esta vigilância privada acaba colaborando com o trabalho de aumentar a segurança das pessoas, que é uma obrigação do poder público", apontou.

Para quem recorre a um serviço de segurança privada é preciso tomar cuidado com as empresas e profissionais clandestinos. De acordo com o Sindicato dos Vigilantes, para cada vigilante regularizado no Paraná existem outros três irregulares. Para as 127 empresas liberadas pela PF para atuarem no Estado, há pelos menos outras mil trabalhando na ilegalidade, estima a entidade.

"Temos muitos (vigilantes) que são contratados para atuarem em casas noturnas, eventos e fazendo a vigilância de residências durante a noite. São pessoas sem treinamento e capacitação, que muitas vezes extorquem e ameaçam os contratantes. Recorrer a esses profissionais ou a essas empresas é muito perigoso e traz ainda mais insegurança", alertou João Soares.

A coordenadora do Observatório das Metrópoles, núcleo da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Ana Lucia Rodrigues, credita o aumento da rede de segurança privada à sensação de insegurança, "muitas vezes produto de espetaculização da mídia", e ao "aumento de renda e do consumo por parte da população brasileira", além da legislação, que obriga a contratação de agentes privados para eventos particulares. "Pesquisas da Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), inclusive no Paraná, mostram que muitas pessoas se sentem inseguras, mas nunca foram vítimas e nem tiveram parentes próximos passando por uma situação de violência. É uma prova que o medo é muito maior do que o que acontece no dia a dia", opinou.

A professora do departamento de Ciências Sociais, ressaltou, porém, que isso não significa que não há violência, muito pelo contrário. "Os índices de homicídios, inclusive nas pequenas cidades, têm aumentado", frisou.

De acordo com Ana Lucia, a diminuição da violência não está atrelada somente a uma eficiência maior das políticas de segurança pública ou aumento do efetivo. "A solução não está na repressão, mas sim em investimentos robustos em políticas sociais. Investir em educação, políticas urbanas e de inclusão vai contribuir, inclusive, para uma diminuição da indústria da segurança privada", concluiu.

fonte - FOLHA DE LONDRINA
Lucio Flávio Cruz
Reportagem Local

Incêndio mata três índias da mesma família em Nova Laranjeiras, no PR

Incidente ocorreu nesta quinta-feira (23), na região central do estado.
Na casa, estavam avó, filha e neta; incêndio foi acidental, diz polícia.

Do G1 PR
Um incêndio matou três índias da mesma família nesta quinta-feira (23) em Nova Laranjeiras, na região central do Paraná. O acidente ocorreu na localidade rural de Taquara, durante a madrugada. Segundo a Polícia Civil, na casa, dormiam uma idosa de 69 anos, uma adolescente de 16 anos e uma criança de 4 anos. Elas eram avó, filha e neta.
A polícia investiga o caso, mas suspeita que o incêndio tenha sido acidental.

Justiça autoriza prefeito de São Miguel do Iguaçu a retornar ao cargo

Dutra foi afastado por denúncias de uso indevido de dinheiro público.
Decisão mantém indisponibilidade de bens e é válida até o fim da ação.

Do G1 PR
Claudiomiro Dutra (PT), prefeito de São Miguel do Iguaçu (Foto: Divulgação/Prefeitura de São Miguel do Iguaçu)Para MP, prefeito é responsável por fiscalizar subordinados
(Divulgação/Prefeitura de São Miguel do Iguaçu)
O Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) autorizou o prefeito de São Miguel do Iguaçu, no oeste do Paraná, Claudiomiro Dutra (PR) a retornar ao cargo. O chefe do Executivo foiafastado por uma decisão em primeira instância de uma ação que apura suspeitas de desvio de dinheiro público para o pagamento de cirurgias bariátricas – de redução de estômago – particulares. A nova decisão mantém a indisponibilidade de bens do chefe do Executivo local e é válida até o fim da ação movida pelo Ministério Público (MP-PR).
De acordo com a promotoria, foram feitas duas cirurgias no início de 2013 no Hospital Costa Cavalcanti, em Foz do Iguaçu, também no oeste. O procedimento do filho da ex-secretária de Saúde Maria Elizabeth de Borba – exonerada após a denúncia - custou cerca de R$ 16 mil. Já a do vereador Francisco Machado Mota (SDD) foi de aproximadamente R$ 31 mil. "Ou seja, foram gastos R$ 47 mil reais para duas cirurgias bariátricas, sendo que na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS) os valores são muito aquém disso, muito menores", aponta a ação.
Para o secretário de Administração do município, Valdecir Lago, as cirurgias foram autorizadas de forma legal. "Um dos problemas é que seria o filho da secretária. Ele é cidadão de São Miguel do Iguaçu e se ele tinha a necessidade e está dentro das regras pode fazer a cirurgia. Na questão do vereador, que abriu a polêmica por causa do valor, é que algumas cirurgias elas têm complicações e no caso do vereador extrapolou e foi para R$ 31 mil. Mas o mesmo devolveu o dinheiro com data mais ou menos de 30 a 40 dias atrás", comentou

.

Alunos da escola municipal Rotary Club estrelarem no festival literário da secretaria de Educação.





Nesta quinta-feira (23) foi a vez dos alunos da escola municipal Rotary Club estrelarem no festival literário da secretaria de Educação.
Envolvendo os alunos do primeiro ao quinto ano o espetáculo contou com apresentação das peças teatral “Chapeuzinho Vermelho – uma aventura borbulhante”, “ A joaninha que perdeu suas pintinhas”, “Matar sapo da azar”, “Viviane a rainha do pijama”, “ O condomínio dos monstros” e “ Uma escola assim, eu quero pra mim”.
Todas essas historias compõe a caixa de leitura  do projeto  Ler e Crescer trabalhado desde o inicio do ano dentro da sala de aula com os alunos, buscando incentivar a prática da leitura através das histórias, fábulas e contos da literatura brasileira.
O festival vai até o dia 05 de novembro com apresentação de todas as escolas municipais comemorando o mês literário.

Murilo Leonardi
Assessor de Imprensa
Prefeitura Municipal de Assaí

SECRETARIA DE SAÚDE DE ASSAÍ RECEBEU NOVOS EQUIPAMENTOS

A secretaria de Saúde recebeu um novo lote de materiais permanentes para equipamento de todas as Unidades Básicas de Saúde e Hospital Municipal.

Foram recebidos mesas para exames ginecológicos, desfibrilador, autoclave, balanças entre outros.

“Recebemos mais um lote de materiais e equipamentos do recurso que prefeito Luiz Mestiço conquistou junto ao Governo do Estado para aprimorar o atendimento de saúde às famílias assaienses”, comenta o secretário Claudio Prudêncio.


Murilo Leonardi
Assessor de Imprensa
Prefeitura Municipal de Assaí

PM DE SÃO SEBASTIÃO DA AMOREIRA APREENDE ARMA, MUNIÇÕES E DROGA.

Por volta de 09h40m do dia 23 de Outubro de 2014 (Quinta), graças a serviço de informação, equipe PM de São Sebastião da Amoreira, área de atuação do 18º BPM, com Sede em Cornélio Procópio, conseguiu retirar de circulação uma arma de fogo (garrucha calibre 38), além de 120 gramas de maconha e 29 munições de diversos calibres.

Tanto a arma como os demais itens ilegais foram encontrados em um trailer estacionado em um terreno baldio localizado na Avenida Antonio Franchischini. 

Com tal ação preventiva por parte dos integrantes do 18º BPM, muito provavelmente tenha-se evitado um crime de maior potencial ofensivo. Restam, ainda, diligências no intuito de descobrir a quem pertencia os ilícitos.

Seção de Comunicação Social do 18º BPM