Bebê tem braço amputado em escada rolante de shopping

Lucas Emanuel Andrade - Redação Bonde
QR:
Flip

Um bebê de 9 meses foi encaminhado em estado gravíssimo ao hospital após ter parte do braço amputado. O acidente aconteceu por volta das 18h30 desta quinta-feira (27) no interior de um shoppingno centro de Ponta Grossa. 

Testemunhas relataram que o braço da criança enroscou na escada rolante em um momento de descuido quando os pais tiravam uma foto. Socorristas do Siate e do Samu foram acionados para prestar atendimento à criança. 

Conforme o Siate, a menina foi encaminhada imediatamente ao Hospital Vicentino. Já a parte do membro amputada foi desenroscada da escada cerca de 20 minutos depois e levada à unidade médica na tentativa de fazer o reimplante.

A reportagem do Portal Bonde não conseguiu contato com o Hospital Vicentino na manhã desta sexta-feira (28).

CUMPRIMENTO DE MANDADO JUDICIAL EM CONGONHINHAS

Por volta de 07h00 da manhã de quinta,27, as equipes da Polícia Militar e da Polícia Civil efetuaram o cumprimento de um Mandado de Busca e Apreensão a determinada residência da Rodovia PR 160, Km 92, onde obtiveram êxito de encontrar no interior da casa o total de 116 maços de cigarros e 07 pacotes de pastilhas Halls que haviam sido adquiridas provavelmente via receptação ou descaminho na cidade de Londrina-PR, por preço bem inferior ao de mercado. Em seguida o morador da casa seguiu encaminhado junto aos objetos para o devido procedimento legal.

ROUBO A RESIDÊNCIA EM CORNÉLIO PROCÓPIO

Ás 15h20m de quinta-feira, 27 , a  equipe da PM deslocou a determinado endereço da Avenida Paraíso, área central, onde a solicitante passou a relatar que sua casa havia sido invadida por três indivíduos armados, que chegaram mesmo a efetuar um disparo no intuito de intimidá-la. Que enquanto um dos bandidos a mantinha sob a mira da arma os outros dois realizaram a subtração de 01 notebook; 01 aparelho celular; 02 revólveres; 01 pistola, além de várias joias.  Que o trio de meliante também manteve amarrado no quintal um homem que trabalha na residência, e que após o roubo os trio se evadiu através de uma mata fechada que circunda a residência. Restam, portanto, buscas no intuito de descobrir o paradeiro dos meliantes, bem como, de recuperar o armamento e objetos roubados.

Tarifas de pedágio sobem segunda-feira

Novos valores serão definidos hoje; reajuste deve ficar abaixo da inflação

Curitiba - O Departamento de Estradas de Rodagem (DER)do Paraná deve divulgar hoje os novos valores a serem cobrados a partir de 1º de dezembro nas 27 praças de pedágio que compõem o Anel de Integração do Estado. A expectativa é que o acréscimo médio não ultrapasse 6,5%, o que corresponde à inflação acumulada nos últimos 12 meses. Desde novembro de 1997, quando as rodovias paranaenses foram concedidas à iniciativa privada, os contratos assinados obrigam o governo estadual a anunciar o reajuste anual até 48 horas antes de ele entrar em vigor.

O aumento é geralmente solicitado pela Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e homologado após a análise do DER e da Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura (Agepar)do Paraná. Em 2013, as tarifas subiram, também em média, 5,72%, um pouco abaixo dos 5,84% medidos pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). Ontem, tanto as assessorias de imprensa da ABCR como as do DER e da Agepar informaram que ainda não dispunham dos índices oficiais.

Além da inflação, questões como obras, prestação de serviços aos usuários e investimentos em equipamentos são consideradas para a definição de preços. As seis empresas que administram o Anel de Integração apresentam as planilhas dos gastos feitos durante o ano aos técnicos do DER, que fazem o arredondamento dos valores e repassam à Agepar. Em seguida, as tabelas completas são publicadas no Diário Oficial do Estado.
Mariana Franco Ramos
Reportagem Local-folha de londrina

Empresa de Ibiporã investe R$ 10 milhões em ampliação

A Furgão Ibiporã, indústria especializada na fabricação de carrocerias metálicas para o transporte de frios, carnes e cargas em geral, inaugura nesta sexta-feira (27) seu novo barracão industrial.

O imóvel possui cerca de 15 mil m² de área construída, e abrigará as novas linhas de montagem da empresa, um investimento de R$ 10 milhões.

Divulgação
Divulgação


Atendendo o mercado nacional de furgões frigoríficos e isotérmicos sobre-chassi, a direção da Furgão Ibiporã projeta um incremento de aproximadamente 50% em sua produção e a geração de pelo menos 100 empregos diretos com a ampliação de suas instalações, localizadas no Parque Industrial V, na BR369, saída para Londrina.

Segundo o diretor industrial Rui Kazunari Harada, o novo barracão será ocupado gradualmente até o final de 2015. "Atualmente produzimos uma média de sete produtos/dia. Com esta ampliação, objetivamos dobrar a produção. A empresa surgiu em 1992 e desde 1994 vem constantemente investindo na ampliação e modernização da sua estrutura física e na capacitação profissional de seus colaboradores", ressalta Harada.

A empresa foi inicialmente instalada em uma área de 3.000 m², e atualmente ocupa mais de 80.000 m², sendo que destes, 30.000 m² são de área construída. Segundo estatísticas de emplacamentos da Associação Nacional dos Fabricantes de Implementos Rodoviários (Anfir), a empresa é a maior fabricante nacional de carrocerias frigoríficas, posição que já ocupa há mais de um ano. Só em 2013 a Furgão Ibiporã fabricou 1158 furgões sobre-chassi frigoríficos e isotérmicos e 363 semirreboques.
Redação Bonde-folha de londrina

Pulseiras de elástico conquistam crianças e adultos e vão além de uma simples brincadeira

A cada ano uma nova moda toma conta das escolas. A mais recente é a das pulseiras de elástico. Feitas de pequenos aros coloridos trançados, não há limites para os desenhos e nem para as ferramentas utilizadas para criar os acessórios. De teares a garfos, tudo serve para a criançada mostrar sua criatividade. Além das pulseiras, também é possível fazer anéis e figuras diversas, como frutas e animais. Na internet tutoriais ensinam a criar as peças.

Mas engana-se quem pensa que só a meninada anda com as pulseiras coloridas por aí. Pais, tios e avós se renderam à moda e até astros como David Beckham, o príncipe William e a princesa Kate Middleton já apareceram em público usando suas Loom Bands ou Rainbow Loom, como são conhecidas as pulseirinhas.

Além de colocar as crianças na moda, a brincadeira tem servido para outros propósitos, como a interação com os amigos, menos tempo com aparelhos eletrônicos e até para educação financeira.

Na casa da promoter Aline Cooper e do vendedor Vander Splicido, as pulseirinhas dominam boa parte do tempo de lazer do filho Lucas Cooper Splicido, de 9 anos. A mãe conta que o menino aprendeu a fazer os acessórios na escola e pediu para ela comprar o material. Com tudo em mãos, seguiu o exemplo de outros colegas e começou a vender as pulseiras.

"Vendi até para o homem que veio arrumar a pia aqui de casa", conta ele. Familiares e amigos dos pais são os clientes habituais, que podem escolher entre os modelos prontos ou fazer encomendas personalizadas. Segundo o menino, cada uma leva em torno de apenas cinco minutos para ficar pronta e o custo depende da quantidade de material utilizado e a complexidade do modelo, podendo variar de R$ 1 a R$ 2.

"Só deixamos ele fazer as pulseiras porque vai bem na escola. É uma maneira dele estar ativo e se ocupando. O Lucas sempre foi tranquilo, gosta de brincar com jogos de montar e passa pouco tempo no computador. Acho esse brinquedo interessante porque estimula a criatividade, a gente vai escolhendo as cores e até eu brinco junto", conta Aline.

Intermediário nas vendas a pedido do filho, Splicido conta que os amigos se espantam quando ficam sabendo que foi uma criança quem fez as pulseiras. "Eles acham bem feito. Acredito que a internet ajudou a disseminar essa mania."

O dinheiro é usado para comprar mais material e também está sendo guardado para comprar algo especial. "Ensinamos a calcular o que ele gastou, o preço do material e chegamos ao valor final. Dá para ensinar várias coisas com o brinquedo", diz a mãe.

A promoter Aline Cooper acompanha o filho Lucas, de 9 anos, na confecção das pulseiras: acessórios estimulam criatividade e são vendidos para amigos e familiares

Érika Gonçalves
Reportagem Local-folha de londrina

PM reforça patrulhamento com moto

22 homens do 5º Batalhão foram treinados para atuar sobre duas rodas

Fotos: Anderson Coelho
A versatilidade e a rapidez no atendimento de ocorrências são os pontos fortes do policiamento com motos
Londrina- Vinte e dois policiais militares do 5º Batalhão, cuja sede fica em Londrina, participaram ontem da formatura do estágio de policiamento com motocicletas. O grupo que participou do treinamento foi considerado com mais aptidão para atuar nesse tipo de patrulhamento.

Um dos policiais do grupo que finalizou o treinamento é o soldado Bruno Henrique Carvalho Aquiles, de 27 anos. Ele recebeu uma homenagem especial por trabalhar nas horas de folga na pintura e manutenção das motocicletas e capacetes da corporação.

"A gente entra na PM achando que sabe pilotar moto, mas depois desse curso passamos de motoqueiros a motociclistas. Com o curso aprendemos a andar de motocicleta da maneira adequada, e passamos a vê-la como uma extensão do corpo", destacou Carvalho.

O instrutor foi o soldado Adirlei Luiz Cezarine, pioneiro no patrulhamento com moto no Paraná. "O soldado Cezarine tem um conhecimento vasto. Ele nos ensinou técnicas de tiro, de abordagem e de maneabilidade com motocicleta. Agora o trabalho é combater o crime e a bandidagem. Vamos reprimir e entrar em todo lugar onde o carro não entra", declarou Carvalho.

Cezarine destacou que fez o curso em 2002, quando participou de um treinamento no 2º Batalhão de Choque de São Paulo, na divisão de Rondas com Apoio de Motocicletas (Rocam). "Fizemos um curso voltado para multiplicadores e trouxemos a ideia deles para o Paraná. Mudamos algumas técnicas para adequá-las à nossa realidade e através disso montamos a Choque Motos em Curitiba e depois em Londrina. Agora também montamos a Rocam aqui na cidade", explicou.

Entre as adequações que fez nas técnicas utilizadas no patrulhamento com motos, ele destacou que aqui no Paraná foi implantada a figura do garupa nas motos. "O garupa é o responsável por fazer a segurança da equipe durante as abordagens de rotina, seja em favela, seja na área central. Ele carrega uma arma calibre 12 ou uma metralhadora, porque durante o patrulhamento de rua o motociclista fica muito exposto e para quem conduz a moto é um patrulhamento de alto risco e há a dificuldade para sacar uma arma", destacou.

Segundo o tenente-coronel Hudson Leôncio Teixeira, comandante do 5º BPM, com esse tipo de patrulhamento o policial chega mais rápido na ocorrência e fica mais próximo da sociedade. "Eu defendo a tese de que precisamos investir mais em motocicletas para dar um atendimento melhor e uma resposta mais rápida para a sociedade", salientou.

A versatilidade das motocicletas é uma das qualidades que são elogiadas pelo comandante e ele nutre uma afeição especial por esse tipo de patrulhamento. "A primeira unidade em que servi foi em um pelotão de motociclistas, quando me formei em 1992. Tenho uma afinidade e gosto do policiamento com motocicleta", destacou.

De acordo com o comandante, a tendência neste fim de ano é de que haja um aumento da criminalidade. "Tendo em vista que teremos o indulto e vários marginais serão liberados, é uma questão legal que não cabe a mim questionar ou ponderar, mas nosso trabalho vai ser cumprido."

Ele ressaltou que existem bandidos que serão atraídos pelos recursos oriundos do 13º salário e assaltos a estabelecimentos comerciais. "Nosso atendimento estará focado na área comercial, mas sem deixar de lado os bairros", concluiu.
Vítor Ogawa
Reportagem Local-folha de londrina

Estacionamentos são alvos de novo crime

Ladrões de Londrina estão usando dispositivos eletrônicos que impedem que portas de carros sejam travadas

Lis Sayuri
Polícia recomenda que motoristas verifiquem fechamento do veículo ao acionar alarme
Londrina - Um dispositivo eletrônico usado para bloquear o travamento de carros. Esta é a arma que bandidos têm usado para praticar furtos dentro de estacionamentos privados em Londrina. O objeto semelhante a um controle remoto de som automotivo neutraliza os sinais e impede que motoristas fechem o carro.

A nova fraude já é conhecida pela Polícia Civil. Um caso específico registrado no 6º Distrito Policial (DP), localizado no Jardim Bela Suíça, tem ganhado destaque. A reportagem do Bonde teve acesso ao documento que descreve o fato ocorrido na última semana em um estacionamento de um estabelecimento comercial na Zona Sul da cidade.

A pessoa relata que teve objetos de valor furtados do interior de seu carro. O veículo não apresentava qualquer sinal de arrombamento. A cliente repassou o caso à administração do estabelecimento para ter o prejuízo reparado.

A vítima voltou no dia seguinte para retirar o documento necessário e levar até a delegacia para registrar o boletim de ocorrência. Ela destacou ter tentado por três vezes estacionar o carro, em pontos diferentes do estacionamento, mas em todas as situações as portas do carro não travaram. A solução foi procurar um local de intenso movimento e com a presença de seguranças. Só assim foi possível ir até o setor administrativo retirar o documento.

Em conversa com a reportagem, a pessoa disse ter recebido diversas mensagens de outras vítimas. Os relatos eram semelhantes e as situações aconteceram em outros estacionamentos privados da cidade.

O investigador chefe da Delegacia de Furtos e Roubos de Londrina, Márcio Ilkiu, afirmou que a Polícia Civil acompanha casos parecidos. Ilkiu destacou que três pessoas já foram presas recentemente em um shopping da cidade utilizando-se do aparelho para impedir o travamento dos carros. "Os dispositivos de que temos conhecimento, inclusive o que apreendemos, têm uma distância curta para ativamento. Os criminosos se aproveitam do descuido das vítimas para agir", descreveu.

O investigador, no entanto, acredita que o caso registrado no 6º DP seja uma inovação fraudulenta. "Não temos conhecimento de um dispositivo dessa dimensão, que consiga bloquear o estabelecimento inteiro. É algo novo que está acontecendo e com certeza sendo usado para ações fraudulentas. Seria interessante que as vítimas registrassem boletim de ocorrência para termos conhecimento na (Delegacia de) Furtos e Roubos", acrescentou.

O delegado Acácio Gonzaga de Azevedo, do 6º DP, apontou que os aparelhos são adquiridos no Paraguai e entram de forma ilegal no País. O delegado confirmou a existência de outros casos parecidos. Ele reforçou que as ações são direcionadas e se caracterizam pela proximidade para que o aparelho neutralize o fechamento dos carros.

"O criminoso observa que a pessoa está estacionando e já enxerga uma possível vítima. Ele age principalmente ao perceber que o motorista deixou a bolsa ou outro objeto no carro", explicou o delegado.

Azevedo adiantou que a Polícia Civil deve acompanhar mais de perto o caso relatado nesta reportagem. O objetivo é apurar a existência de um aparelho de maior intensidade.

Enquanto isso, tanto Márcio Ilkiu quanto Azevedo sugerem que os motoristas verifiquem sempre se as portas foram travadas. "Na hora de apertar a trava confirme se o carro fechou ou não. Confira sempre se tiver alguma dúvida", recomendou o delegado do 6º DP.

O investigador da Furtos e Roubos acrescentou que qualquer problema deve ser comunicado à segurança do estabelecimento e à polícia. "Temos um bom relacionamento com os responsáveis pela segurança dos principais shoppings da cidade. O caminho é sempre relatar o ocorrido e repassar isso à polícia. A informação da vítima é essencial para chegarmos até os criminosos."
Lucas Emanuel Andrade
Equipe Bonde-folha de londrina

Londrinense vê indústria como solução para crescimento local

Pesquisa aponta que 82,2% veem industrialização como melhor alternativa e 77,4% rejeitam vocação para comércio e serviços

Saulo Ohara
Segundo Charles Vezozzo, presidente do Fórum, pesquisa mostra que a industrialização da cidade precisa ter maior volume
O londrinense considera a cidade boa para se morar e tem orgulho de sua origem, mas um em cada cinco jovens de 16 a 20 anos acredita que terá de se mudar para outro município nos próximos 12 meses. A explicação mais aceita pelos integrantes do Fórum Desenvolve Londrina, que divulgaram ontem os dados, é que a baixa taxa de industrialização local faz com que os mais jovens sintam a necessidade de procurar emprego pelo País.

Se cruzados os dados da 3ª Pesquisa de Percepção da População sobre a Cidade de Londrina e do Manual de Indicadores de Desenvolvimento 2014, ambos lançados ontem pelo Fórum, é possível perceber que a economia da cidade entrou em desaquecimento nos últimos anos e que os moradores têm sentido o baque. Foi a primeira edição em que o sentimento dos moradores sobre a industrialização em Londrina foi abordado nas entrevistas e a aceitação foi considerada positiva para 82,2%, como uma solução. A pesquisa ainda mostrou que 77,4% rejeitam vocação da cidade para comércio e serviços. Por isso, a entidade prepara uma pesquisa mais extensa e propositiva sobre a industrialização, que deve ser lançada até março de 2015.

Entre as causas para essa percepção aparece o menor desenvolvimento do Produto Interno Bruto (PIB) per capita londrinense. O valor era superior em R$ 1,4 mil ao nacional em 2004, mas a diferença caiu até a crise de 2008 e 2009. Em 2011, último ano considerado pelo Fórum, a renda anual brasileira já era quase R$ 500 maior do que a dos trabalhadores pés-vermelhos.

O resultado ajuda a explicar como, nos últimos três anos, a fatia de moradores que acreditam que terão de deixar a cidade em 12 meses aumentou de 8,3% em 2012, para 8,8% em 2013 e para 11,4% neste ano. A fatia é ainda maior entre os jovens de 16 a 20 anos, faixa na qual 21,5% têm a percepção de que terão de se mudar.

Coordenador da pesquisa de percepção e integrante do Fórum, o diretor de mercado na Cebrac Franchising, Fábio Pozza, diz que parte da explicação para a tendência à migração de jovens é a falta de oportunidades de trabalho. "Aquela visão de que Londrina é uma cidade voltada ao comércio e serviços não é uma visão amparada pela população da cidade."

O presidente do Fórum, Charles Vezozzo, alerta que pesquisas de percepção podem provocar distorções e cita o exemplo de que, por mais que os índices de criminalidade caiam ou subam, isso não implicaria necessariamente no sentimento de maior segurança por parte da população. "A pesquisa nos surpreendeu porque, historicamente, ouvimos falar até há alguns anos que a população de Londrina não queria a industrialização, porque poluía e tal, e essa pesquisa de percepção se revelou diferente."

Vezozzo ressalta outro indicador, de que 54,6% acreditam que as cidades industrializadas têm muitos problemas sociais e ambientais. "Lógico que pode trazer o ônus e o bônus, mas mostra que a população está disposta (à industrialização)", diz.

Aprovação
Outro ponto que contribui para a tese é que 77,1% consideram Londrina boa para se viver e 75,6% têm orgulho de dizer que é da cidade. Se mesmo assim um quinto dos jovens acredita que terá de sair da cidade em até um ano, Pozza diz que ganha força a tese da motivação econômica. "Percebemos que nossa industrialização precisa ter maior volume e a própria população tem essa percepção", completa Vezozzo, que considera que comparações com municípios do mesmo porte, como Joinville (SC) e Ribeirão Preto (SP) dão força à tese.

folha de londrina
Fábio Galiotto
Reportagem Local

Quatro são presos por pesca predatória em Londrina

Rafael Fantin - Redação Bonde
QR:
Flip

A Polícia Ambiental – Força Verde prendeu em flagrante quatro homens no fundo do Recanto dos Pescadores, em Londrina, que estavam realizando pesca predatória no rio Tibaji. 

Segundo informações da porta-voz da Força Verde, soldado Camila Reina, o grupo utilizava boias com a iscas vivas para capturar os peixes. Junto com os pescadores, a polícia localizou 1,5 quilos de mandi e cerca de 6 quilos de barbado. 

Divulgação/Força Verde
Divulgação/Força Verde


"Estamos no período da piracema, que é a desova dos peixes. É proibido pescar nesta época, principalmente com a utilização de iscas vivas. Além disso, o equipamento encontro com o grupo é de pesca predatória", ressaltou a porta-voz. 

Além dos quatro homens, um adolescente foi apreendido. O grupo foi encaminhado para a Delegacia de Ibiporã.

PREFEITO DE CONGONHINHAS, DR. JOSÉ OLEGÁRIO ENTREGA AMBULÂNCIA PARA SUA COMUNIDADE



Mais uma ambulância nova chega ao município de Congonhinhas "UM PRESENTE DE NATAL PARA A POPULAÇÃO".

 O Veículo que chegou ao município é uma VAN CITROEN JUMPER devidamente equipada adquirida junto ao Governo do Estado através da  Secretaria Estadual da Saúde , com apoio do Deputado Tiago Amaral.

 O Prefeito Dr. José Olegário e seu Vice Osmarzinho juntamente com os Vereadores e Secretaria municipal de Saúde fizeram a entrega do veiculo para a população. A Saúde do Município sempre esteve nas prioridades da atual administração, em busca de inovação no atendimento a saúde Exercicios Barriga o prefeito tem buscado grandes melhorias, procurando atender as mais diversas necessidades de todos, principalmente quando se trata de exames emergenciais, o município não tem medido esforços para atende-los tranquilizando assim os familiares da pessoa que precisa, garantindo a eles um bom atendimento.

Portanto esta ambulância está chegando ao município em uma hora oportuna, onde todos aqueles que precisarem poderão utiliza-la na certeza que também estão fazendo parte da administração, com o direito de usufruir dos bens adquiridos pelo município. Administrar bem, é administrar defendendo os interesses da população. 

FONTE - Geraldo Notícias 

MENINAS QUE CONQUISTARAM MEDALHAS NOS JOGOS ESCOLARES SÃO RECEBIDAS PELO PREFEITO LUIZ MESTIÇO

Na manhã desta quinta-feira (27) o prefeito Luiz Mestiço recebeu a visita das atletas da equipe de futebol feminino de Assaí do Colégio Conselheiro Carrão que conquistou o terceiro lugar no 61º Jogos Escolares do Paraná – Bom de Bola , que aconteceu na cidade de Paranaguá.
A equipe repete o resultado do ano de 2013,ficando com o terceiro lugar e atrás apenas de Curitiba e Ouro Verde do Oeste.
As atletas são integrantes da Escolinha Esportiva Renata Costa – Assaí Foot Ball Club que tem parceria com o município de Assaí com treinos de segunda a sexta-feira com os técnicos Pedro Henrique e Bruno Viana.
Renata Costa é a grande representante esportiva de Assaí, que conquistou títulos pela Seleção Brasileira de futebol feminino, que tem contribuído com formação de novos talentos.
A equipe Assaíense é composta por atletas de toda região (na sequencia da foto): Pedro Henrique , Stefani (Londrina), Kawane (Andirá),Quezia ( São Jerônimo da Serra), Prefeito Luiz Mestiço, Renata Costa, Jenifer ( Cambará), Karla (Tomazina), Danise (Santa Catarina), Tayná(Bandeirantes) e Ariane(São Sebastião da Amoreira).

Paraná produz 140 mil toneladas de produtos orgânicos por ano

Apenas setor de hortaliças orgânicas cresce entre 20% e 30% no estado.
Curitiba tem 13 feiras que vendem destes produtos; confira.

Do G1 PR, com informações da RPC TV Curitiba
A produção anual de alimentos orgânicos no Paraná é de 140 mil toneladas. É o terceiro estado do país com maior produção, de acordo com o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater). Apenas o setor de hortaliças orgânicas, cresce anualmente de 20% a 30%. Mais de 80% de toda esta produção vem de pequenas propriedades - atualmente, são sete mil agricultores familiares no estado.

Para ser considerado orgânico, o produto tem que ser produzido em um ambiente com processo produtivo embasados em princípios agroecológicos, que contemplam o uso responsável do solo, da água, do ar e dos demais recursos naturais, respeitando as relações sociais e culturais. Por outro lado, os produtos que não são orgânicos são cultivados a base de agrotóxicos. Alguns alimentos, frequentes na alimentação diária dos brasileiros, lideram a lista dos que mais recebem adição química: pimentão, alface, cenoura, pepino, morango, tomate e mamão.

A nutricionista Andreia Bruginski explica que o consumo em excesso de alimentos com agrotóxicos pode acarretar doenças. “Os estudos demonstram uma relação com alguns tipos de câncer, doença de Parkinson, doenças endócrinas, infertilidade em adultos, alergias, doenças respiratórias e doenças neurológicas, entre as quais algumas que afetam o aprendizado”, citou a nutricionista.

O consumidor não tem como tentar remediar a utilização química. Contudo, os alimentos que têm o chamado agrotóxico de contato, após uma boa higienização, podem se tornar menos agressivos.
Circuito da Feiras Orgânicas - Curitiba
A procura constante e ascendente por estes produtos se reflete no número de feiras específicas em Curitiba. A primeira foi criada em 1989 e, agora, a população tem à disposição uma dezena de feiras livres específicas.

Jardim Botânico
Sábados - das 07h às 12h Rua Dr. Jorge Mayer – Praça de Itália ao lado da Igreja.

EMATER
Feira Mista, orgânico e convencional - Quartas-feiras - das 07h às 12h Rua da Bandeira em frente a EMATER.

Seminário
Terças-feiras - das 07h às 12h - Rua João Argemiro de Loyola.

Praça do Expedicionário
Quartas-feiras - das 07h às 12h - Rua Saldanha de Gama (Praça do avião).

Passeio Público
Sábados - das 07h às 12h - Rua Presidente Faria.

Praça do Japão
Quintas-feiras - das 7h às 12h - Av. Republica Argentina com Av. 7 de Setembro.

Prefeitura Municipal de Curitiba
Quartas-feiras - das 07h às 11h - Rua Papa João XXIII ao lado da Prefeitura.

Cabral
Praça São Paulo da Cruz (Igreja do Cabral) - Quintas-feiras - das 07h às 12h - Av. Paraná esquina com Rua Bom Jesus.

Praça da Ucrânia
Sábados - das 07h às 12h - Av. Candido Hartmann esquina com ruas Pe. Anchieta e Rua Capitão Souza Franco.

Santa Felicidade
Praça Piazza San Marco - Sábado das 07h às 12h - Via Veneto, em frente à Rua da Cidadania de Santa Felicidade - Santa Felicidade.

Mercado Municipal – Setor Mercado Orgânico
Rua da Paz nº 608.

Portão
Praça Desembargador Armando Carneiro - Terças-feiras das 07h às 12h - entre as ruas Prof. Euro Brandão e Av. República Argentina ao lado do terminal de ônibus Portão.

Santa Quitéria
Praça Francisco Ribeiro Azevedo de Macedo - Sábado das 07h às 12h - entre as ruas Boayuva, Curupaitins, Prof. Brasilio Ovídio da Costa, e Capiberibe.

Agência bancária é destruída após explosão de caixa eletrônico no PR

Ação ocorreu nesta quinta-feira (27), no centro de Figueira, na região norte.
Criminosos invadiram banco após renderem vigilantes da prefeitura.

Do G1 PR
Explosão destruiu agência bancária de Figueira (Foto: Arquivo pessoal/ Josilei de Abreu Carneiro)Explosão destruiu agência bancária de Figueira (Foto: Arquivo pessoal/ Josilei de Abreu Carneiro)
Uma agência bancária de Figueira, no norte do Paraná, ficou parcialmente destruída após a explosão de um caixa eletrônico durante a madrugada desta quinta-feira (27). De acordo com a Polícia Militar (PM), cinco criminosos renderam os vigilantes da prefeitura, invadiram o banco e armaram os explosivos. A polícia não informou a quantia de dinheiro levada pelos suspeitos.

Segundo informações de testemunhas, os criminosos estavam armados e fugiram em um veículo de cor prata. Até as 14h, os suspeitos não foram localizados pela polícia. A Polícia Civil investiga o caso.

ROBERTO SUPERMERCADO COMEMORA SETE ANOS DE ATIVIDADES EM ASSAÍ
































Com um delicioso café da manhã, o empresário Roberto Vendrametto, proprietário juntamente com seu cunhado Adir, os sete anos de atividades do Roberto Supermercado, empresa de Assaí, localizada na Rua Bolivia com Getúlio Varbas, a poucos metros da Avenida Rio de Janeiro, no coração da cidade.

Hoje com sede própria, com mais de 1000 metros quadrados, com aproximadamente 50 empregados e com todos ítens em generenos alimentícios, com uma carteira de clientes das mais invejadas em toda região, o empresário Roberto Vendrametto já começa a investir em outros seguimentos, como loteamentos e investimentos no setor de Hotelaria, um dos quesitos que a cidade ainda não tem à altura da região, para atender toda a região.

Com mais de 30 anos no setor, sempre trabalhando como empregado, a sete anos Roberto Vendrametto, junto com sua família realizou seu sonho de possuir seu proprio estabelecimento, com a qualidade dos melhores da região.